Notícias

11 MAR
[Unidades básicas se tornam pontos de urgência para pacientes com Covid-19 em Salvador]

Unidades básicas se tornam pontos de urgência para pacientes com Covid-19 em Salvador

Além da unidade de Pirajá, a iniciativa será implantada nas Unidades de Saúde da Família (USFs) de Itapuã, Imbuí e IAPI até a segunda-feira (15)


Redação Fé Católica
[email protected] 

Como parte da estratégia municipal para garantir assistência à saúde aos pacientes com o coronavírus em Salvador, a Prefeitura remodelou o funcionamento de quatro unidades de saúde da cidade para serem pontos de urgências que vão operar em regime 24 horas, durante todos os dias da semana. Os detalhes da iniciativa foram divulgados pelo prefeito Bruno Reis nesta quinta-feira (11), durante coletiva virtual na Unidade Básica de Saúde (UBS) Pirajá – um dos locais inseridos nesse novo conceito.

Também participaram do ato a vice-prefeita Ana Paula Matos e o secretário municipal da Saúde, Leo Prates. Além da unidade de Pirajá, a iniciativa será implantada nas Unidades de Saúde da Família (USFs) de Itapuã, Imbuí e IAPI até a segunda-feira (15). Cada estrutura contará com três leitos exclusivos para infectados com a Covid-19, sendo dois de enfermaria e um de estabilização.

“Iniciamos essa manobra transformando as unidades básicas para terem leitos de observação. Se necessário for, conseguiremos intubar pacientes enquanto é realizada a regulação para um hospital”, explicou Bruno Reis, acrescentando que a estratégia estrutural tem o objetivo de aliviar a pressão sobre as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Esses novos pontos, destacou, foram planejados e aparelhados especialmente para atender as situações de urgência e emergência. Eles dispõem de medicamentos, cardioversor, monitor, oxímetros, respirador e cilindros de oxigênio, entre outros equipamentos. 

A gestão dos quatros espaços ficará a cargo da Fundação ABM de Pesquisa e Extensão na Área da Saúde (Fabamed). O valor para a manutenção de cada unidade é de R$468,2 mil mensal e o prazo de vigência do contrato é de 30 dias, podendo ser prorrogado conforme a necessidade.

Só na USF Pirajá vão atuar 82 trabalhadores da saúde. Dentre eles estão médicos, enfermeiros, assistente social, farmacêutico, nutricionista, coordenador de enfermagem, coordenador médico, supervisor administrativo e técnico de enfermagem. 

Dinâmica de atendimento
O prefeito reforçou que os serviços de saúde atualmente oferecidos na USF Pirajá, considerando as áreas prioritárias da Atenção Primária à Saúde, como hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase, doença falciforme e pré-natal, serão remanejados para a Escola Municipal Alexandrina Pita, localizada na Rua Elísio Mesquita. Os atendimentos seguirão de segunda a sexta-feira, nos dois turnos da manhã e tarde, das 8h às 17h. 

Já os serviços complementares (curativo, coleta de material para exames laboratoriais, vacinação, marcação de consulta para outras especialidades e outros exames ofertados no município e dispensação de medicamentos básicos) prosseguem no próprio posto de saúde. “Vamos manter atendimento à saúde e essa USF funcionará como uma UPA avançada para dar apoio às pessoas que estão necessitando”, assegurou Bruno Reis.

Cenário
O chefe do Executivo municipal voltou a falar do atual cenário epidemiológico da capital baiana, que continua com índices preocupantes por conta da demanda provocada pela pandemia. A cidade amanheceu com 129 pessoas aguardando leitos para transferência a hospitais de referência – número mais alto desde o início da crise sanitária. Ontem (10), 80 pacientes foram regulados. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 86%.

“Os números não param de crescer e a pressão no sistema de saúde a cada dia aumenta. Essa é uma realidade não apenas em Salvador, mas na Bahia e em todo o Brasil”, lamentou Bruno Reis.

O prefeito voltou a lembrar dos esforços e investimentos empregados para assistir à população na pandemia. A Prefeitura já reabriu, por exemplo, seis gripários, mesma quantidade que havia durante a primeira onda. Além disso, houve o acréscimo de duas tendas de suporte ventilatório, que dispõem de leitos de terapia intensiva. 

No entanto, o chefe do Executivo municipal fez um alerta. “Infelizmente temos limitações para seguir fazendo essas manobras por diversas razões, entre eles aquisição de insumos e contratação de equipes médicas, para ter condições de atender a demanda, que está cada vez maior”, afirmou.

Nova estrutura 
O prefeito também reforçou que, nesta sexta-feira (12), a Prefeitura deve colocar em funcionamento o novo hospital de campanha na Estação Cidadania de Itapuã, duas semanas após o anúncio da montagem da estrutura. O espaço será gerido pela Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil e terá dez leitos de UTI e 40 de enfermaria.


Foto: Betto Jr