Notícias

26 MAI
[Santa Dulce dos Pobres é homenageada pelos 106 anos do seu nascimento]

Santa Dulce dos Pobres é homenageada pelos 106 anos do seu nascimento


O reconhecimento da Igreja pelos milagres a ela atribuídos ocorreram 27 anos após sua morte, sendo o terceiro processo de canonização mais rápido da história.


Hoje, 26 de maio de 2020, a Igreja faz memória ao aniversário natalício de 106 anos da primeira santa nascida no Brasil: Santa Dulce dos Pobres. E para homenagear esta que é lembrada como "Anjo Bom", as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) realizará atividades ao longo do dia. 

Pela manhã, o reitor do Santuário Santa Dulce dos Pobres, frei Giovanni Messias, preside, pelas redes sociais, uma missa em Ação de Graças, com transmissão ao vivo pelo Instagram e Facebook: “santuariosantadulce”.

O lançamento do novo single de Carlinhos Brown, “Louvada Seja Dulce” também acontece hoje. A música estará disponível a partir desta terça-feira, em todas as plataformas digitais, para streaming e downloads, com renda revertida para a OSID.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E para finalizar o dia de homenagens, às 19h, o padre Jaciel Bezerra promoverá mais uma edição da Live Show Beneficente em prol das Obras Sociais. A apresentação será transmitida pelo canal do sacerdote no YouTube.

*Vida de entrega e serviço ao próximo*

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu no dia 26 de maio de 1914, em Salvador, no bairro do Barbalho. Segunda filha do dentista e professor da Faculdade de Odontologia Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Ponte, nome ao qual ela 'adota' quando entra para vida religiosa.

Em 1922, ano seguinte ao falecimento de sua mãe, ela faz sua primeira comunhão ao lado de seus irmãos Augusto e Dulce, a vida de fé da futura Irmã Dulce dava mais um passo ali. Aos 13 anos, ela passa acolher mendigos e pessoas doentes em sua casa, no bairro de Nazaré, tornando o local em um centro de atendimento. Ainda nesta época, Maria Rita dá os primeiros sinais de que queira entrar na vida religiosa, mas somente no dia 18 de fevereiro de 1933, que ela entraria para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição, na cidade de São Cristóvão Sergipe.

Em 13 de agosto deste mesmo ano, ela recebe o hábito de Freira da Congregação e em homenagem a sua mãe adota o nome de Irmã Dulce. Sua primeira missão como freira foi ensinar em um colégio mantido pela sua congregação, no bairro da Massaranduba, na Cidade Baixa, em Salvador. Mas, o seu pensamento estava voltado mesmo para o trabalho com os pobres. Dois anos após se tornar uma Irmã Missionária, em 1935, ela dava assistência à comunidade pobre de Alagados, conjunto de palafitas na parte interna do bairro de Itapagipe. 

Mas, até o dia 13 de outubro de 2019, data que ela foi reconhecida pela Igreja como Santa foram 27 anos após sua morte, no dia 13 de março 1992, sendo o terceiro processo de canonização mais rápido da Igreja.
 

Foto: Reprodução / Instagram / OSID