Notícias

04 DEZ
[Santa Bárbara é reverenciada nas ruas do Centro Histórico nesta quarta (04)]

Santa Bárbara é reverenciada nas ruas do Centro Histórico nesta quarta (04)

Vestidos de vermelho homens, mulheres e crianças celebraram a devoção a Padroeira do Corpo de Bombeiros da Bahia
 

No dia 4 de dezembro, a Igreja celebra a Santa Bárbara. Os devotos da Santa, que é Padroeira do Corpo de Bombeiros do Estado da Bahia participaram de uma missa campal no Largo do Pelourinho, na manhã desta quarta (4). Aos pés da Igreja do Rosário dos Pretos devotos munidos de muita fé e alegria se uniram numa única voz em louvor a Santa.

A missa campal foi presidida pelo Capelão da Igreja do Rosário dos Pretos, Pe. Jonathan e concelebrada pelos padres Lázaro Muniz, Capelão Emérito da Igreja e pelo Padre Valson Sandes, diretor espiritual do Apostolado da Oração (AO), em Salvador. 

Durante a homilia, o sacerdote afirmou que Santa Bárbara é o exemplo de mulher guerreira, que luta. "Celebrar Santa Bárbara não é qualquer coisa. É celebrar a graça, a manifestação da força da fé popular", pontou. 

Após a celebração, os fiéis saíram em procissão acompanhados das imagens de São Jorge, São Sebastião, São Miguel Arcanjo, São Roque, São Lázaro e Santa Bárbara em direção ao 1° Grupamento de Bombeiros Militar (1°GBM),  na Rua Joaquim Seabra, Barroquinha. 

Na solenidade, em honra a Santa, a maioria do público era formada por familiares. Maria Lúcia Britto, 61 anos, moradora do bairro de Matatu de Brotas revela que ao engravidar, não conseguia ver o sexo da criança e ela pediu a intercessão da Santa e, se caso fosse, ela daria o nome de Bárbara e assim ocorreu neste dia 4. Na festa, acompanhada de sua filha Bárbara Luiza Reis, de 34 anos, Maria Lucia fala sobre a devoção pela Santa. "Com o tempo, o desejo e a necessidade de vir sempre. Vim agradecer e pedir que ela interceda por um medido", conta.  

Acompanhado de sua esposa, Maria Lúcia Farias dos Santos, 37 anos e de seu filho  Luís Fernando de 8 anos, que participam pela pela primeira da festa em homenagem a Santa Bárbara, Francisco José dos Santos, 41 anos, conta que a admiração começou desde cedo, pois seus pais e avós o levam desde a infância para o festejo. "Temos quatro filhos e todos já haviam participando. Dessa vez foi o momento dele e também estou aqui para agradecer", afirma. 

Há 50 anos, Maria Augusta Sousa, 73 anos, louva a Santa e tem como pedido certeiro - a proteção da vida de seus filhos - mas este ano um desejo especial pela sua saúde também: "Peço a intercessão dela em minha cirurgia da tireoide", fala emocionada.  

Há 16 anos na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, Edson do Nascimento, 69 anos, fala que é gratificante participar de momentos como esse na vida da Igreja. "Hoje eu faço parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e fui convocado através de um irmão, que já morreu e sinto que fui agraciado por nossa senhora do Rosário, na hora que eu mais precisava de uma palavra de apoio, na Irmandade encontrei o que mais precisava". Edson também é coordenador da Devoção de Santa Bárbara há 2 anos  acredita que "Quando a fé é colocada a serviço a gratificação é maior do que qualquer coisa", pontua.

Para o Coronel Geral do Corpo de Bombeiros do Estado da Bahia, Francisco Telles celebrar a Santa Bárbara é o momento mais importante para a corporação. "Ela é nossa padroeira e permite que todos os devotos conheçam o corpo de bombeiros e possam fazer a sua procissão de fé", conclui. 

História

Há décadas o Mercado de Santa Bárbara, no Centro Histórico de Salvador, pegou fogo, a imagem foi levada então para o quartel da Barroquinha, onde permaneceu até a reestruturação do imóvel danificado. 

Devotos pediram proteção à santa para que os bombeiros militares conseguissem combater as chamas, o que foi alcançado. Desde então, a imagem entra no quartel durante a procissão, em sinal de respeito e agradecimento.

Patrimônio Imaterial do Estado, a Festa de Santa Bárbara abriu nesta quarta-feira (4), o calendário baiano de festejos populares. "É muito gratificante fazer parte, mais uma vez, desse momento de fé e devoção", concluiu o tenente-coronel Adson Marchesini, que organizou, pela 11ª vez o evento, que teve o Capelão Dimas, celebrando a missa no quartel da Barroquinha.