Notícias

14 JAN
[Reserva global de vacinas contra Ébola é criada ]

Reserva global de vacinas contra Ébola é criada

Quatro das principais organizações humanitárias e de saúde, internacionais – UNICEF, OMS, IFRC e MSF - anunciaram a criação de uma reserva global de vacinas contra Ébola a fim de assegurar uma resposta contra a epidemia

 

Redação Fé Católica
[email protected]

O esforço no sentido de constituir essa reserva foi guiado pela ICG, International Coordinating Group on Vaccine Provision, que compreende a Organização Mundial da Saúde (OMS) o UNICEF, a Federação  Internacional da Sociedade da Cruz Vermelha e da Meia Lua Vermelha (IFRC) e Médicos Sem Fronteiras (MSF), com o apoio financeiro da GAVI, Aliança para as Vacinas. A reserva permitirá aos países de conter – com o apoio das organizações humanitárias - as futuras epidemias de Ébola e, ao mesmo tempo, de garantir vacinas às populações em risco durante as epidemias.

As vacinas, em dose única, injectáveis, contra Ébola (rVSV∆G-ZEBOV-GP, vivo) são produzidas pela Merck, Sharp & Dohme (MSD) e desenvolvidas pelo Governo dos Estados Unidos. A Agência Europeia para os Medicamentos autorizou a vacina contra a Ébola em Novembro de 2019, e a vacina já é pré-qualificada pela OMS e autorizada pela Food and Drug Administration, dos Estados Unidos, e por oito países africanos.

Antes de obter a licença, a vacina foi injectada a mais de 350 mil pessoas na Guiné-Conacri e nos focos de Ébola de 2018-2020 na República Democrática do Congo.

A vacina - recomendada pelo Strategic Advisory Group of Experts para as Vacinações (SAGE), para os focos de Ébola, como parte de uma ampla série de respostas a esses focos -  protege da espécie “Ébolavírus do Zaire” que geralmente causa focos da doença.

“A epidemia de COVID-19 recorda o incrível poder das vacinas de salvar vidas humanas de vírus mortais”  - declarou o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor Geral da OMS. “As vacinas contra a Ébola tornaram previsível uma das doenças mais temidas da Terra. Esta nova reserva é um excelente exemplo de solidariedade, ciência e cooperação entre as organizações internacionais e o sector privado para salvar vidas humanas" - disse.

O UNICEF gere a reserva por conta do ICG que - tal como para as reservas de vacinas contra a cólera, a meningite e a febre amarela - será o órgão de decisão para a atribuição e entrega da vacina.

As reservas foram armazenadas na Suíça  e estão prontas para ser enviadas aos países para intervenções de emergência. A decisão de atribuição da vacina será tomada no arco de 48 horas após o recebimento de um pedido da parte do país interessado; as vacinas serão postas à disposição pelo produtor que fornece também uma embalagem para manter a temperatura adequada. O objectivo é que o tempo de entrega – do armazém ao país interessado - não ultrapasse os sete dias.

“Estamos orgulhos por fazer parte deste esforço sem precedentes e contribuir para pôr rapidamente sob controlo os potenciais focos de Ébola” – declarou Henrietta Fore, Directora Geral do UNICEF que acrescentou:  “Sabemos que quando se trata de epidemia, a preparação é fundamental. Esta reserva de  vacina contra Ébola é um resultado notável, que nos permitirá entregar as vacinas, o mais rapidamente possível, a quem delas necessitar.”

Dado que as epidemias de Ébola são relativamente raras e imprevisíveis, não existe um mercado natural para a vacina. As vacinas são garantidas apenas através da constituição de reservas e estão disponíveis em quantidades limitadas. A vacina contra a Ébola é reservada à resposta a epidemias para proteger as pessoas mais expostas ao risco de contrair a doença,  incluindo os agentes sanitários e os trabalhadores na linha da frente.

“Esta é uma pedra miliar importante. Só na última década, Ébola devastou diversas comunidades na África ocidental e central, atingindo de forma cada vez mais séria os pobres e os vulneráveis” – declarou o Secretário geral da IFRC, Jagan Chapagain. “Em cada epidemia, os nossos voluntários puseram a própria vida em risco para salvar outras vidas humanas. Com esta reserva, espero que o impacto desta terrível doença se reduza drasticamente.”

“A criação de uma reserva de vacina contra Ébola no âmbito da ICG é um passo positivo” – disse por sua vez Natalie Robert, de MSF. “A vacinação é uma das medidas mais eficazes para responder às epidemias de doenças que se podem prevenir com a vacina, e Ébola não faz excepção.” Uma reserva de vacina contra a Ébola pode aumentar a transparência na gestão das reservas globais existentes e o tempestivo envio para zonas  onde é mais necessária, como foi o caso do pedido de MSF durante as recentes epidemias na República Democrática do Congo.”  

Atualmente estão disponíveis 6.890 doses vacinais para a resposta a eventuais focos da doença e há ulteriores quantidades para ser inseridas na reserva ainda este mês e por todo o ano 2021 ou mesmo mais além. Conforme a taxa de distribuição da vacina, poderá ser necessário cerca de dois ou três anos para atingir o nível recomendado pela SAGE, ou seja 500 mil doses, para a reserva de emergência contra Ébola. A OMS, o UNICEF, o GAVI e os produtores da vacina avaliam continuamente as opções a fim de aumentar a oferta da vacina em caso de aumento da demanda global. 

Com informações e foto da CNBB