Notícias

28 JAN
[Representação mais antiga de Santo Tomás de Aquino é descoberta]

Representação mais antiga de Santo Tomás de Aquino é descoberta

No decorrer de uma restauração na Basílica de Santa Maria Novela em Florença foi descoberta a representação mais antiga de Santo Tomás de Aquino. A forte ligação dos dominicanos com Florença

 

Redação Fé Católica

[email protected]

 

A representação mais antiga de Santo Tomás foi recentemente descoberta sob uma camada de gesso nas paredes da Basílica de Santa Maria Novela em Florença. A obra, um afresco de 1323, atribuída ao Mestre de Santa Cecília, o pintor anônimo seguidor de Giotto, estará no centro das celebrações da memória litúrgica do Doutor Angélico que se realizará na mesma Basílica no dia 28 de janeiro. Serão celebrações especiais.

Jubileu dominicano

Este ano, de fato, marca o Jubileu Dominicano que abrirá oficialmente em 25 de março e que comemora dois aniversários importantes: os 800 anos do nascimento de Santo Domingos de Guzmán, que ocorreu em Bolonha no dia 6 de agosto de 1221 e os oito séculos desde a chegada dos primeiros 12 frades dominicanos na pequena igreja florentina de "S. Maria ad Vineas" ou "Santa Maria delle Vigne", o local onde a famosa Basílica foi construída em 1279.

Os dominicanos

O Padre Manuel Russo O.P., religioso da Comunidade de Santa Maria Novella, explica ao Vatican News: "Os frades eram enviados para pregar a Santo Domingos por causa da heresia cátara. Inicialmente eles viviam fora de Florença. Concentravam a sua atividade apostólica na natureza dual, divina e humana, de Jesus Cristo. Apoiada pelo Cardeal Hugolino di Segni, que mais tarde se tornaria Gregório IX e canonizaria Santo Domingos, a pequena comunidade obteve a designação de uma igreja perto de um terreno agrícola em Florença".

O afresco

O belíssimo afresco descoberto remonta à época da elevação à honra dos altares de Domingos, que ocorreu em 1324. Foi descoberto há dois anos e meio, foi estudado por Gaia Ravalli e inaugurado em 2020 com uma conferência de estudos. O afresco retrata a lição inaugural do doutorado de Santo Tomás. "Tomás - continua Padre Manuel Russo - foi declarado "Magister in Sacra Pagina", ou seja, na Sagrada Escritura e está representado no momento em que inaugura o próprio magíster com a famosa lição na Universidade de Paris Rigans montes sobre a sabedoria divina". Os trabalhos de restauração devolveram ao quadro, escondido há cerca de meio milênio, o seu brilho cromático original.

"Em 1565, após o Concílio de Trento, Cósimo I de' Medici ordenou a Giorgio Vasari que renovasse a Basílica de Santa Maria Novela de acordo com os cânones tridentinos. O pintor, autor do famoso "Vidas", revolucionou a decoração: a maioria das pinturas medievais e renascentistas foram destruídas. Entre elas havia também alguns afrescos do Beato Angélico. Apenas alguns quadros não foram raspados das paredes, mas foram cobertos por uma camada de gesso". É o caso da pintura que retrata Tomás que, sob uma camada branca de gesso, caiu no esquecimento. No local foram colocados um altar de pedra do período maneirista e um painel pintado pelo próprio Vasari.

A descoberta

Cerca de três anos atrás, durante o trabalho de restauração veio à luz esta descoberta impressionante. O restaurador Simone Vettori, com grande mestria, foi capaz de remover o gesso e os depósitos de sujeira, trazendo à luz uma pintura que, apesar dos danos sofridos, ainda é visível perfeitamente e revela uma refinatura acurada no uso de diferentes técnicas e materiais como chumbo branco, dourado e lápis-lazúli ou azurita.

O afresco está entre os protagonistas da jornada de 28 de janeiro em Santa Maria Novela, juntamente com a apresentação teológica feita pelo reitor da Faculdade de Filosofia da Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino, em Roma, e presidente da Pontifícia Academia Santo Tomás, Ir. Serge-Thomas Bonino O.P., sobre o tema "O Pão da Vida nos escritos de Santo Tomás".

Florença e Tomás de Aquino 

Padre Manuel Russo faz questão de sublinhar a ligação entre a Basílica Florentina e Santo Tomás. "A arquitetura de Santa Maria Novela de fato - conta - é evocativa da concepção estética de Tomás. Além disso, a partir do século XIV, surgiu na igreja um importante estudo teológico-filosófico, herdeiro do fundado por Tomás em Nápoles, em San Domenico Maggiore".   

A Basílica Florentina conserva no seu interior outras famosas representações pictóricas dedicadas ao santo. "Entre estas destaca-se o retábulo de Andrea Orcagna na Capela Strozzi em Mântua e o Cappellone degli Spagnoli no Claustro Verde, o antigo capítulo da comunidade, afrescado como uma grande catedral tomista: um verdadeiro triunfo do dominicanismo, conhecido em todo o mundo. Santo Tomás é retratado sentado, rodeado pelas ciências".

Relíquia do Santo

A Basílica de Santa Maria Novela também preserva o dedo de Santo Tomás, uma relíquia com uma história conturbada. "Tomás", recorda Padre Russo, "morreu na Abadia de Fossanova, em Priverno, na província de Latina". Segundo a lei canônica da época era estabelecido que o mosteiro, o lugar da morte, tivesse direito à propriedade dos restos morais. Todavia, os frades dominicanos organizaram um sequestro e uma transferência das relíquias para Toulouse, o local de nascimento da ordem dominicana. Durante a viagem à França, os restos mortais do santo fizeram uma parada em Florença e, por desejo do Papa Urbano V, o dedo permaneceu em Santa Maria Novela. Uma memória terrena do autor dos Hinos Eucarísticos. Nos séculos passados era tradicionalmente levado em procissão durante as celebrações do Corpus Domini. Nos últimos anos foi renovada a devoção, por parte dos fiéis, à relíquia do santo, que poderão venerá-la durante as comemorações deste ano.

 

Com informações e foto do Vatican News