Notícias

02 DEZ
[Primeira Medalha Irmã Dulce homenageia Maria Rita, sobrinha da santa baiana]

Primeira Medalha Irmã Dulce homenageia Maria Rita, sobrinha da santa baiana

A medalha é uma homenagem criada pela Câmara Municipal de Salvador

 

A Câmara Municipal de Salvador homenageou na noite desta segunda-feira (2), a superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), Maria Rita Lopes Pontes, com a primeira Medalha Irmã Dulce. A sessão solene foi realizada no Plenário Cosme de Farias. 

Há 28 anos à frente das obras deixadas pela tia, como superintendente das OSID, Maria Rita vem desenvolvendo um trabalho social que beneficia diariamente milhares de pessoas, entre: idosos; pessoas com deficiência e com deformidades craniofaciais; pacientes oncológicos; crianças e adolescentes em situação de risco social; dependentes de substâncias psicoativas; e pessoas em situação de rua.

Em entrevista ao Fé Católica News, Maria Rita dedicou a medalha a todos os funcionários das Obras Sociais de Irmã Dulce e lembrou do ano especial que vive. "Recebo essa medalha com muita gratidão. Ela coroa esse ano que foi maravilhoso para as obras, com 60 anos de fundação, uma das três melhores ongs do Brasil, a canonização. E essa medalha é um reconhecimento ao trabalho das obras, não a minha pessoa, porque o que eu faço, graças a Deus, eu faço com a ajuda da minha equipe. Trabalho de união com muita dedicação e amor. E sem esses profissionais, os religiosos e voluntários, não conseguiríamos esses resultados. Então ofereço a todas essas pessoas da família OSID", ressalta.

Proposta pelo vereador Joceval Rodrigues (Cidadania), com aprovação unânime pelos vereadores de Salvador, a medalha é destinada a pessoas físicas, empresas ou instituições do terceiro setor que se destacam na promoção de relevantes obras sociais na cidade.

"Nós precisamos reconhecer, propagar bons exemplos, de pessoas que fazem a diferença na sociedade e para a sociedade. Maria Rita é um exemplo, pois quando Irmã Dulce nos deixou, a obra tinha um tamanho e proporção. Hoje é uma realidade em todo o Brasil. Um exemplo de case de sucesso, referência na área da assistência. Então, nós precisávamos criar algo que reconhecesse essas pessoas que realizam esse tipo de trabalho, para que elas possam se tornar referência e exemplos", destaca Joceval.

As Obras Sociais de Irmã Dulce nasceram no dia 26 de maio de 1959. Uma entidade filantrópica que abriga um dos maiores complexos de saúde 100% SUS do país, com cerca de 3,5 milhões de procedimentos ambulatoriais por ano, na Bahia, a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A organização conta com um perfil de serviços único no país.

O presidente do conselho administrativo da OSID, Dr Ângelo Calmon de Sá, falou da importância da homenagem para as obras. "Acho extremamente importante para as obras, mas eu diria principalmente pelo reconhecimento do trabalho de Maria Rita. Sou presidente do conselho há 40 anos, tive a oportunidade de trabalhar 12 anos com Irmã Dulce e depois com Maria Rita. Essa medalha tem uma importância não só de reconhecimento, como também de prestigiar ainda mais a obra".

Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador, colaborador e amigo de Maria Rita, também estava presente e falou da simplicidade da homenageada e como esse reconhecimento ajudará a OSID. "Essa homenagem serve para projetar uma luz sobre a Obra Social de Irmã Dulce e sobre o ato de caridade. Nós estamos numa carência de pessoas como Irmã Dulce, capazes de sacrificar-se, se esvaziar, em benefício dos outros. Eu acredito que uma homenagem dessa pode servir para isso. As pessoas vão começar a perce que também podem ajudar. Eu valorizo o gesto, sei que Maria Rita não tem essa vaidade, mas espero que o gesto multiplique Irmãs Dulces pelo Brasil".

Sessão Solene

Acompanhada da tia, Ana Maria Lopes Pontes, irmã de Santa Dulce dos Pobres, Maria Rita foi recebida com aplausos por amigos, familiares, autoridades e funcionários da OSID, ao som do hino da santa.

Compuseram a mesa, o propoente, vereador Joceval Rodrigues, a homenageada, Maria Rita Pontes, o arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, Ana Maria Lopes Pontes, tia da homenageada, Dr. Ângelo Calmon de Sá, presidente do conselho de administração da OSID e o vice-prefeito do município, Bruno Reis. 

Histórico da homenageada

Nome de batismo dado pela tia Irmã Dulce - a  canonizada Santa Dulce dos Pobres - a carioca e joranlista Maria Rita Pontes tem uma história de importante legado nas OSID. A participação efetiva de Maria Rita na obra social, fundada pela freira baiana, fez com que o Conselho de Administração das Obras Sociais Irmã Dulce a convocasse, em 1991, para assumir interinamente a direção dos trabalhos, face ao afastamento de Irmã Dulce por motivos de saúde. Em março de 1992, aberta a Carta-Testamento deixada pela religiosa, Maria Rita fez sua última vontade, permanecendo à frente das Obras Sociais, após seu falecimento.