Notícias

17 OUT
[Pe. Geraldo Maia se despede de Roma após 6 anos de missão no Pio Brasileiro]

Pe. Geraldo Maia se despede de Roma após 6 anos de missão no Pio Brasileiro

A celebração de posse do novo reitor, Pe. José Otácio Oliveira Guedes, será neste sábado (17), depois de 6 anos de Pe. Geraldo à frente do Colégio Pio Brasileiro, em Roma
 

Redação Fé Católica
[email protected]

A despedida já começou a ser anunciada pelas redes sociais: “muito obrigado a todas as pessoas que nos acompanharam nestes 6 anos de missão no Pontifício Colégio Pio Brasileiro”, agradece o Padre Geraldo dos Reis Maia que, neste sábado, 17 de outubro, passa a direção da casa para o novo reitor. A celebração de posse, às 11h na hora de Roma, será presidida pelo secretário da Congregação para o Clero, encarregado do setor de colégios e seminários, o arcebispo mexicano, Jorge Carlos Patrón Wong.

Os 6 anos de missão
A CNBB apresentou a nomeação do novo reitor, Padre José Otácio Oliveira Guedes, da Arquidiocese de Niterói (RJ). O Pe. Otácio, como é conhecido, é natural do Maranhão e, nos últimos anos, servia como missionário em Porto Velho, Rondônia. Ele vai substituir o Pe. Geraldo que está encerrando um período de mais de 6 anos da direção do Pio Brasileiro: um mandato iniciado por três anos e renovado por outros três.

“Eu permaneço mais alguns poucos dias para ajudar em alguma orientação do novo reitor e retorno ao Brasil, se Deus quiser, em torno do dia 23, estarei de regresso para nova missão na nossa Arquidiocese de Uberaba. O meu arcebispo, dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba, se comunicou comigo, fez uma consulta, mas ainda ele não definiu porque também depende das necessidades lá, da arquidiocese. De maneira que eu não tenho ainda uma palavra final do meu arcebispo, mas seja que trabalho for é uma alegria poder estar servindo a Igreja, na edificação do Reino de Deus. Naquilo que a Igreja exigir de mim, seja como pároco, voltando depois de tantos anos, seja também em formação, eu estou disponível! Estou disponível para o trabalho que a Igreja precisar de mim. Eu disse para o dom Paulo, quando ele me consultou: ‘dom Paulo, eu estou 6 anos distante da arquidiocese. Eu não tenho nenhuma pretensão, eu não tenho nenhum direito de exigir nada. O senhor veja qual é o trabalho necessário e vou procurar fazer com alegria.”

O Pio Brasileiro na pandemia
O Pe. Geraldo ainda não recebeu nova missão no Brasil, mas ainda tem lidado com desafios dentro da própria casa naquela que considerou “uma realidade tripla” no Colégio Pio Brasileiro durante a pandemia. Durante as recentes férias do verão europeu, um grupo de 35 padres permaneceu no colégio, apesar das férias coletivas anuais dos funcionários. “Neste ano eu disse: aqui é a casa de vocês. No momento em que vocês mais precisam nós não podemos fechar as portas, mas vamos ver as portas abertas, correndo todos os riscos, mas vamos deixar essa oportunidade que vocês permaneçam na casa”, disse ele.

Um outro grupo de 15 padres voltou ao Brasil para passar uma temporada no país e estão retornando à Itália aos poucos, para voltar às aulas, e seguindo todas as normas sanitárias da quarentena para retornar o ano: “como eles têm domicílio aqui em Roma, garantidos pelo ‘Permesso di Soggiorno’, eles podem retornar com uma certa tranquilidade".

Os recém-chegados no Colégio
Para o terceiro grupo, porém, o desafio é maior: 13 padres devem começar os estudos neste ano e ainda não têm residência fixa em Roma, somente o visto que, por sinal, conta o Pe. Geraldo, conseguiram com muito esforço através do consulado italiano de São Paulo que acolheu os casos de todas as outras jurisdições.

“Uma parte do grupo tem enfrentado dificuldades”, aguarda no Brasil, fazendo o curso de italiano, de maneira virtual, e procuram se inscrever nas universidades para começar os cursos em modalidade on-line. O Pe. Geraldo, porém, comenta que “dois chegaram na quinta-feira (15), nesta sexta (16) chegam outros quatro e, na semana que vem, chegará mais um padre”.

O Colégio Pio Brasileiro, inaugurado em 1934, procura acolher anualmente sacerdotes que vêm a Roma para frequentar diferentes cursos de pós-graduação, além dos presbíteros religiosos do Brasil e também de outros países que são acolhidos para uma formação permanente.

Com informações e foto do Vatican News