Notícias

03 DEZ
[Papa aceita a renúncia do arcebispo de Paris]

Papa aceita a renúncia do arcebispo de Paris

Dom Aupetit havia entregue seu mandato nas mãos de Francisco depois dos acontecimentos que o envolveram nos últimos dias. "Meu coração está em paz, rezo por aqueles que podem ter me desejado mal", peço "perdão àqueles que posso ter ferido"

Redação Fé Católica 

[email protected] 

Após quatro anos, Dom Michel Aupetit deixará de ser arcebispo da Arquidiocese de Paris. Na manhã desta quinta-feira (2) o Papa aceitou a renúncia apresentada pelo prelado nos últimos dias, nomeando em seu lugar como administrador apostólico sede vacante et ad nutum Sanctæ Sedis da mesma arquidiocese, Dom Georges Pontier.

O texto da carta com a renúncia, que o arcebispo de 70 anos havia enviado a Francisco no dia 25 de novembro, havia sido divulgado pela mídia e justamente as acusações, rejeitadas, de uma campanha jornalística haviam induzido Dom Aupetit a dar um passo atrás “para salvaguardar a diocese”, como declarou mais tarde.

Estranheza quanto às acusações

Em particular, as acusações da mídia concentraram-se na gestão da arquidiocese e no suposto relacionamento sentimental com uma mulher em 2012, quando foi nomeado vigário-geral. Para ambas as acusações, no dia 27 de novembro o prelado expressou desagrado e estranheza, ao mesmo tempo em que agradeceu o apoio recebido por "tantas pessoas de Paris, entre sacerdotes, amigos, fiéis".

Perdoo aqueles que me magoaram

Numa mensagem de despedida da arquidiocese, tornada conhecida hoje, Dom Aupetit, ao recordar os "dolorosos acontecimentos da semana passada", reitera ter entregue seu mandato nas mãos do Papa "para preservar a diocese da divisão que a suspeita e a perda de confiança sempre provocam".

Afirma ter cumprido a sua missão à frente da arquidiocese "com fervor e dedicação", agradecendo a todos os que o ajudaram no cumprimento ministério. “Eu estava, naturalmente, muito perturbado com os ataques contra mim. Hoje agradeço a Deus que o meu coração esteja profundamente em paz” e “ rezo - acrescenta o prelado - por aqueles que me desejaram o mal” e “peço perdão àqueles que posso ter ferido”.

Com Vatican News

Foto: Reprodução