Notícias

05 MAR
[O perdão para curar?]

O perdão para curar?

O PERDÃO PODE CURAR ?
Com o tema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34), acontece, neste dia 08 de março – domingo – a oitava Caminhada do Perdão, promovida pela Arquidiocese de Feira de Santana. O evento faz parte do calendário religioso da cidade e, sempre, é realizado no segundo domingo da Quaresma.

O ESCRITOR S. Covey afirma que muitas pessoas têm o costume de “dormir com o inimigo”. Significa: levar para dormir conosco em nosso coração, em nossa mente uma pessoa que nos fez mal, que nos difamou e que nos agrediu de forma física ou moral. Infelizmente, essa é uma verdade. Tantas vezes carregamos o “inimigo” não apenas para
a cama, mas também ao cinema, ao restaurante, às férias e mesmo à Igreja.

QUANDO somos ofendidos, menosprezados, xingados, caluniados, agredidos ou pior ainda, alguém que amamos é assassinado, é normal sentirmos raiva, ódio e sermos tomados por um sentimento de vingança. Os sentimentos são normais, mas, o perdão não pode depender de nossos sentimentos. Ele deve ser racional. Nesses momentos difíceis
devemos aprender a usar a razão e a fé.

O PERDÃO é, sem dúvida alguma, a cura de muitos males em nossa vida. Uma vez superado o momento difícil, perdoando a pessoa que nos ofendeu e pedindo perdão a Deus, podemos alcançar até mesmo a cura de alguma doença causada pela raiva, pelo ódio, pelo sentimento de vingança que sentíamos. A ciência já provou essa verdade nos últimos anos. Acredite, o perdão é um santo remédio para prevenir e curar muitas doenças.

O EVANGELHO ensina o segredo de uma vingança perfeita: o perdão. E não se limita a uma única vez. Jesus pede que perdoemos setenta vezes sete. E isso não é suficiente: além de perdoar, somos desafiados a amar o inimigo. E quando fazemos isso, a paz infinita descerá sobre nós. Perdoar é a maior recompensa que podemos dar a nós mesmos.

A CAMINHADA do perdão, que acontece no próximo domingo (08), quer nos ajudar a refletir essas verdades e provocar em nós uma mudança de vida em relação a nós mesmos, nossa família, nossas atividades ao meio ambiente e com Deus. Se Deus, que é Deus perdoa sempre, quem somos nós para não perdoar o irmão por mais grave que seja a ofensa? E perdoando recebemos em troca saúde, alegria, paz, felicidade e o céu.


Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]