Notícias

16 SET
[No Grito dos Excluídos Dom Aldemiro lembra desigualdades e pede vida em 1º lugar]

No Grito dos Excluídos Dom Aldemiro lembra desigualdades e pede vida em 1º lugar

A celebração eucarística foi presidida na catedral Nossa Senhora da Luz.


Redação Fé Católica
[email protected]


O bispo da Diocese de Guarabira (PB), dom Aldemiro Sena dos Santos, presidiu no último domingo (13), na Catedral Nossa Senhora da Luz, a missa dedicada ao 26º Grito dos Excluídos. A celebração contou a com presença dos agentes das pastorais sociais e com a reflexão do coordenador diocesano de pastoral, padre Bosco. Durante a Missa, nas preces, ofertório e encerramento, os agentes realizaram exposição dos gritos atuais da sociedade, destacando a solidariedade com as famílias enlutadas pela Covid-19.

Para o bispo diocesano, o principal objetivo do Grito dos Excluídos é denunciar todas as formas de exclusão e as causas profundas que levam o povo a viver em condições de vida precárias. Cada vez mais, as entidades e movimentos de defesa e promoção de direitos vêm investindo na atividade como forma de revelar o modelo de desenvolvimento e crescimento econômico que resulta em desigualdade social, miséria, violência e devastação ambiental. A proposta não só questiona os padrões de independência do povo brasileiro, mas ajuda na reflexão para um Brasil que se quer cada vez melhor e mais justo para todos os cidadãos e cidadãs.

“O 26º Grito dos Excluídos e Excluídas quer ressoar em nossas mentes e em nossos corações o compromisso de que precisamos estar atentos e atentas para percebermos os sinais que nos impõem os tempos atuais, marcados pela pandemia que escancara a triste situação de como vive a maioria da população brasileira, sem terra, sem teto e sem trabalho, sem saúde, sem educação e sem alimento. Portanto, sendo arrancada sua dignidade”, lembrou dom Aldemiro.

O tema da última edição do Grito dos Excluídos foi “Vida em primeiro lugar” e o lema “Basta de Miséria, Preconceito e Repressão! Queremos Trabalho, Terra, Teto e Participação!”

Com informações da Diocese de Guarabira
Foto: Diocese de Guarabira