Notícias

08 SET
[

"Maria, cuida com carinho deste mundo ferido", exorta Papa Francisco

O Papa Francisco através de um tweet recordou o cuidado que a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo teve com ele e assim retoma para a humanidade. 

 

Redação Fé Católica
[email protected]

Na Natividade de Senhora celebrada hoje, 8 de setembro, o Papa Francisco através de um tweet recordou o cuidado que a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo teve com ele e assim retoma para a humanidade. 

Confira: 

Maria, a mãe que cuidou de Jesus, cuida com carinho e preocupação materna também deste mundo ferido.

— Papa Francisco (@Pontifex_pt) September 8, 2020

 


Na homília da Natividade em 2017, o Santo Padre apontou que "Maria é o primeiro esplendor que anuncia o fim da noite e, sobretudo, a proximidade do dia". ressaltando ainda que "o seu nascimento faz-nos intuir a iniciativa amorosa, terna e compassiva do amor com que Deus Se inclina sobre nós e nos chama para uma aliança maravilhosa com Ele, que nada e ninguém poderá romper", pontuou.

O Sumo Pontífice indicando o Evangelho, lembrou que ouvimos a genealogia de Jesus (cf. Mt 1, 1-17), que não é uma mera lista de nomes, "mas história viva, história dum povo com o qual Deus caminhou e, ao fazer-Se um de nós, quis anunciar que, no seu sangue, corre a história de justos e pecadores, que a nossa salvação não é uma salvação assética, de laboratório, mas concreta, uma salvação de vida que caminha", reforçou. 

Importância da figura feminina 

Na homília, ele ainda retomou a menção das mulheres – nenhuma das referidas na genealogia pertence à hierarquia das grandes mulheres do Antigo Testamento – o que permite-nos uma abordagem especial: "na genealogia, são elas que anunciam que, pelas veias de Jesus, corre sangue pagão, que recordam histórias de marginalização e sujeição. Em comunidades onde ainda se arrastam estilos patriarcais e machistas, é bom anunciar que o Evangelho começa por salientar mulheres que criaram tendência e fizeram história", ressaltou.

O Papa pontuou que no meio de tudo isto, Jesus, Maria e José. Maria, com o seu «sim» generoso, permitiu que Deus cuidasse desta história. "José, homem justo, não deixou que o orgulho, as paixões e os ciúmes o lançassem fora desta luz.  [...] e hoje, neste mundo onde é patente a violência psicológica, verbal e física contra a mulher, José apresenta-se como figura de homem respeitoso, delicado que, mesmo não dispondo de todas as informações, se decide pela honra, dignidade e vida de Maria. E, na sua dúvida sobre o melhor a fazer, Deus ajudou-o a escolher iluminando o seu discernimento", orienta.


Com informações da Santa Sé
Foto: Reprodução | Vatican News