Notícias

14 JAN
[Dom Petrini afirma que a Igreja em união a sociedade civil farão o possível para amenizar as consequências do fechamento da Ford]

Dom Petrini afirma que a Igreja em união a sociedade civil farão o possível para amenizar as consequências do fechamento da Ford

Em entrevista ao Fé Católica, o Bispo Diocesano expressa sua solidariedade ao povo desta Igreja Particular e todos os afetados 

Redação Fé Católica
[email protected]


Com o anúncio do fechamento da fábrica Ford no Brasil na última segunda, 11, o Bispo da Diocese de Camaçari (BA), dom João Carlos Petrini manifestou preocupação com a situação de todas as famílias afetadas com a decisão da empresa. O bispo diocesano divulgou uma nota falando sobre o assunto (veja aqui). 

Em entrevista ao Fé Católica, o bispo afirma que a Igreja coincide com grande parte do povo de Camaçari. "Estamos pensando nas famílias que, perdendo o salário, provavelmente encontrarão dificuldades para cuidar da saúde e da educação dos filhos, para pagar as prestações ou o aluguel da casa e assim por diante", afirma ressaltando que "a situação fica preocupante por causa do momento que o Brasil atravessa, com a pandemia em alta e pouca oferta de novos empregos", reforça.  

Dom Petrini ao ser questionado sobre a disponibilidade da Igreja, o bispo ressalta que a Diocese esteve sempre presente nas dificuldades da população e, com disponibilidade para colaborar no que for possível com as autoridades. 

Em 2020, com o cenário da pandemia da Covid-19, a CNBB e Cáritas Brasileira lançaram a campanha "É tempo de Ajudar". Na Diocese de Camaçari, o bispo conta que desde o início da pandemia até os dias atuais recolheu muitos alimentos e distribuiu muitas cestas básicas. "O povo desta cidade é muito generoso para apoiar quem atravessa momentos de necessidade", destaca.

O bispo diocesano deixou uma mensagem para as pessoas que foram afetadas pela situação:

A mensagem é de esperança, de que cada grupo organizado presente na cidade fará tudo o que for possível para encontrar soluções à situação criada e amenizar as consequências. Temos que levar a sério as palavras do Papa Francisco na Carta Encíclica “Irmãos Todos”, quando nos recorda que todos procedemos do mesmo Criador e Pai, todos somos chamados a cooperar para edificar o bem e a paz na sociedade, todos somos responsáveis, uns pelos outros.