Notícias

28 MAI
[Dom Itamar celebra 25 anos de Pastoreio em Feira e admite

Dom Itamar celebra 25 anos de Pastoreio em Feira e admite "sou grato a Deus por ter me confiado esta missão"


E em agradecimento a este dia tão especial, uma missa de Ação de Graças será celebrará na Catedral Metropolitana às 17 horas.


Hoje, 28 de maio, Dom Itamar Vian, arcebispo emérito da Arquidiocese de Feira de Santana celebra bodas de Prata na circunscrição eclesiástica.  O episcopado serve em Feira desde 1995 quando foi transferido da Diocese de Barra, onde esteve durante 11 anos, sendo 36 anos de pastoreio na Bahia. 

Em entrevista ao Fé Católica, o bispo afirmou que é uma grande sensação de alegria poder completar 25 anos de serviço, em Feira. "Gratidão a Deus, as pessoas. Jesus disse: 'Quem deixa pai, mãe, irmãos, terras, parentes vai receber 100 vezes mais neste mundo e a vida eterna no outro'. E eu deixei pai, mãe, irmãos, terras, parentes, porque sou gaúcho, e vim para Bahia desde 1984, e aqui Deus me deu outros pais, mães, irmãos, amigos, e por isso sou profundamente grato a Deus por ter me confiado esta missão na Diocese de Barra e agora em Feira", conta. 

E em agradecimento a este dia tão especial, uma missa de ação de graças será celebrará na Catedral Metropolitana às 17 horas. Dom Itamar admite que este momento de missas sem a presença dos fiéis é profundamente sofrida, mas ele crê "que tudo isso vai passar". "Através dos meios de comunicação social, redes sociais, a gente consegue transmitir a palavra de Deus ainda que não tenham pessoas presentes na Catedral Metropolitana", pontua. 

A Santa missa pode ser acompanhada através das redes sociais da Arquidiocese: Facebook  e Instagram.

Até o próximo domingo, 31 de maio, a Igreja vive a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e o bispo trouxe uma mensagem para este tempo: "Jesus falou muitas vezes da unidade, e a grande prece, oração de Jesus ao Pai foi para que vivamos como irmãos. Deus é nosso pai, nós somos todos irmãos e devemos trabalhar na diversidade de denominações religiosas, de igrejas. Trabalhar naquilo que podemos viver juntos, iniciativas sejam pastorais, sociais, na unidade, na comunhão, porque aquilo que nos une é muito maior do que aquilo que nos divide", destaca. "Que possamos em breve poder viver aquela mensagem de Jesus, que pede ao Pai para que, haja um só rebanho e um só pastor", conclui.