Notícias

11 MAR
[Cardeal Erdö: na Hungria há fome de Eucaristia, o Papa será uma testemunha de esperança]

Cardeal Erdö: na Hungria há fome de Eucaristia, o Papa será uma testemunha de esperança

O cardeal arcebispo de Esztergom-Budapeste comenta o anúncio de Francisco de sua presença na missa de encerramento do Congresso Eucarístico Internacional, que se realizará de 5 a 12 de setembro na capital húngara. “Todos, não apenas católicos, estão entusiasmados”, será uma luz “depois de meses de escuridão e pandemia”.

“Mesmo que neste momento em Budapeste as missas com a presença dos fiéis estejam suspensas por causa da pandemia, as igrejas não estão fechadas e há pessoas que vêm para rezar diante do Santíssimo Sacramento. É comovente ver quanta sede e fome as pessoas têm da Eucaristia.” O arcebispo de Esztergom-Budapeste, cardeal Peter Erdö, primaz da Hungria, olha com otimismo para o Congresso Eucarístico Internacional que será realizado na capital húngara de 5 a 12 de setembro deste ano, com a grande alegria no coração, já expressa pelas palavras do Papa Francisco que, no avião de retorno do Iraque, disse que queria estar presente para a missa de encerramento do Congresso.

A Cruz da Missão, símbolo do Congresso

“O Congresso se realizará após o adiamento de 2020 para 2021 por causa da Covid-19, não há dúvidas e estamos preparados para diferentes cenários de desenvolvimento da pandemia”, assegura o cardeal Erdö. Segundo o programa, Francisco presidirá a celebração eucarística final e a Statio Orbis na Praça dos Heróis, onde anunciará o local que sediará o 53º Congresso Eucarístico. Junto ao altar da missa final do Congresso em Budapeste, na tarde de 12 de setembro, certamente haverá a Cruz da Missão, símbolo do evento, criada em 2007 por ocasião da Missão Cidadã pelo ourives Csaba Ozsvári, falecido em 2009. Uma obra de 3 metros e 20 centímetros, feita de madeira de carvalho e coberta com uma lâmina de bronze na qual estão colocadas uma relíquia da Santa Cruz e as relíquias dos santos húngaros, de Santo Adalberto a Santo Rei Estêvão, de São Tomás Becket ao Beato Papa Inocêncio XI e à Beata Anna Kolesár.

LEIA TAMBÉM

 

09/03/2021

A alegria dos bispos da Hungria pelo anúncio da visita do Papa

A renovação dos húngaros, com o Evangelho e a Eucaristia

Francisco abençoou a Cruz (agora peregrina na Hungria, colocada na Basílica de Esztergom) em 20 de novembro de 2017, no início da visita “ad limina apostolorum” dos bispos húngaros a Roma, desejando que ela se tornasse o símbolo de uma verdadeira renovação do povo húngaro, começando pelos valores do Evangelho e da Eucaristia.

Erdö: entusiasmados pelo Papa, uma luz na pandemia

Perguntamos ao cardeal Erdö como a Igreja na Hungria acolheu as palavras do Papa durante a coletiva de imprensa no voo de retorno do Iraque.

Cardeal Erdö: Recebemos a notícia com grande alegria, não apenas nós católicos, mas toda a sociedade húngara. Até mesmo os vários canais de televisão transmitiram imediatamente a notícia, e as outras comunidades religiosas, os outros grupos da sociedade, também estão muito entusiasmados. Esperamos o Santo Padre como testemunha de esperança, porque sua presença poderá dar esperança depois de tantos meses de escuridão e pandemia. Retomemos a vida, renovemo-nos graças ao Espírito, este é o objetivo do encontro: esperamos poder encontrar Cristo em Budapeste, de forma muito solene, do mês setembro.

LEIA TAMBÉM

 

16/05/2020

Confirmada nova data do 52° Congresso Eucarístico Internacional

Como vão os preparativos, considerando o atraso de um ano, as restrições devidas à pandemia e também a incerteza da realização do Congresso como um todo?

Cardeal Erdö: É verdade que existem dificuldades inesperadas, mas os grandes projetos vão adiante. Por exemplo, a missa na língua "Iovari", um dialeto cigano, está pronta, temos várias missas oficiais, temos o hino do Congresso Eucarístico que é lindo e também temos muitos programas culturais, nos meios de comunicação, que têm um conteúdo cristão. E assim estamos nos preparando para o grande evento. Entretanto, o Congresso se realizará, não há dúvidas sobre isso, e estamos preparados para diferentes cenários do desenvolvimento da pandemia. Temos também programas pastorais, mas sobretudo uma rede de pessoas que reza e participa da adoração ao Santíssimo Sacramento. Mesmo que neste momento, por exemplo, em Budapeste as missas públicas estejam suspensas por causa da pandemia, as igrejas não estão fechadas e há pessoas que vêm para rezar diante do Santíssimo Sacramento. É comovente ver como as pessoas têm sede e fome da Eucaristia.

A participação dos fiéis húngaros na Eucaristia dominical foi influenciada por esta pandemia?

Cardeal Erdö: Sim, certamente, porque já no ano passado, quando durante muito tempo não houve missas públicas, as pessoas começaram, por um lado, a acompanhar as missas pela TV e pela Internet, mas começaram também a pedir cada vez mais a possibilidade de uma participação real na celebração da Eucaristia e, quando durante o verão e o outono isso se tornou possível novamente, vimos, com grande alegria, que os fiéis retornavam à igreja. Agora, há outro período de restrições, mas também uma consciência da importância da Eucaristia em nossa vida.

"A minha única fonte está em ti" é o tema do Congresso que se realizará no coração da Europa: "Reencontrar em Deus a força da renovação", tinha sido a indicação do Papa em dezembro de 2019 para este encontro. Então, um centrar-se novamente em Jesus na Eucaristia para a nossa vida?

Cardeal Erdö: Certamente! Demos aos fiéis a indicação para aprofundar, conhecer melhor os ensinamentos do Papa Francisco sobre a Eucaristia, como uma possibilidade de preparação para o Congresso.

Com informações e foto do Vatican News