Notícias

28 JUN
[Busca pela fé e uso da ciência geram impactos na saúde humana]

Busca pela fé e uso da ciência geram impactos na saúde humana

Neste domingo, 28 de junho recorda-se o dia da Renovação Espiritual


Ciência e espiritualidade são dois temas que outrora caminhavam separados. Todavia, para demonstrar que esta teoria está em queda, o Fé Católica entrevistou um especialista para falar sobre “Importância da espiritualidade na ciência”. Neste domingo, 28 de junho, recorda-se o dia da Renovação Espiritual, tendo em vista a data discorremos sobre o assunto no aspecto científico e seus impactos.   

O médico geriatra, doutor em ciências pelo FMUSP, professor de medicina paliativa da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Franklin Santana Santos, 53 afirma que “demorou muito tempo para que a ciência oficial reconhecesse a influência da espiritualidade na saúde, porém hoje não há mais dúvida sobre o fato”. Segundo o especialista surgiram muitos trabalhos, estudos que comprovam, que de fato a espiritualidade é um dos fatores que influenciam a saúde humana.  

Para o professor que também possui formação complementar em Saúde e Espiritualidade pela DUKE University - EUA, a grande questão é a profundidade dessa influência, em que áreas ela pode ser influenciada e a qual influência que ela possui. “As pessoas falam ‘a espiritualidade é sempre benéfica’, por exemplo. Tem alguns estudos que apontam que nem sempre a espiritualidade é benéfica, em alguns lugares ela pode ser maléfica para a saúde, dependendo de como ela é vivida, e como ela é colocada dentro desse processo de vivência”, pontua.

O especialista relata que a medicina tem tido uma abertura ao tema, e traz como exemplo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). “A SBC tem recomendações específicas. De certa forma incentivar que os médicos que perguntem aos pacientes da sua espiritualidade, não que recomendem uma religião, mas  práticas espirituais, como meditações, orações que podem ser de como aliviar o sofrimento, angústia, medo com algumas atividades nesse sentido”, explica. 

Ele recorda-se que no ano passado foi realizado na Bahia, o I Fórum de Saúde e Espiritualidade do Conselho Regional da Bahia e teve uma grande procura, o que para ele indica que “os conselhos de classes, a medicina tem se aberto para essa perspectiva de olhar o fenômeno com interesse científico”, frisando que “há um grande progresso". 

 - Hoje não há nenhum constrangimento, ou dizer que isso seja superstição, acho que todas essas barreiras foram caídas. Entende-se essa outra dimensionalidade da espiritualidade com parte do componente da manutenção e preservação e recuperação da saúde humana. A medicina nesse sentido progressivo bastante - reforça.

Espiritualidade no cenário da pandemia

Franklin Santos esclarece que a espiritualidade sempre aumenta no momento de adoecimento, ou qualquer adversidade que o ser humano enfrente, seja ele física, psicológico ou social.  “Um dos mecanismos geralmente da mente humana é recorrer a crença como forma de resiliência diante daquela situação, que às vezes pode ser melhorada, diminuída, nem sempre resolve, mas no sentido de que ao exercer a espiritualidade, isso lhe dá capacidade de enfrentar uma situação adversa com mais segurança, mais tranquilidade”, fundamenta.

Ele explica que o fato da COVID-19 ser especificamente uma doença grave que ameaça a vida e que pode levar a morte é natural que as pessoas busquem a espiritualidade neste momento, como fator de proteção, no sentido de resguardar da situação de estresse, inclusive, emocional, mental que tem acontecido. “Não é só a doença em si, mas tudo que ele está trazendo no entorno, como desemprego, situação de pânico, de medo, depressão e outras situações que estão envolvidas”, o que para ele justifica “que uma parte da população que já era religiosa reforça mais prática. E aqueles que não eram de alguma forma diante da ameaça, da possibilidade de morte, de várias outras coisas acabam utilizando a espiritualidade para lhe trazer algum tipo de esperança e um comportamento mais saudável mentalmente”.

Diante do cenário da pandemia da COVID-19 entende-se o viés espiritual, mas afinal, de que forma pode ser benéfico e maléfico a espiritualidade da saúde? Saiba mais aqui.

Fonte: Banco de imagens | Canva