Notícias

07 DEZ
[Artigo - Dom Petrini]

Artigo - Dom Petrini

Natal 2019 e o presépio como seu sinal mais importante

O Papa Francisco esteve na cidade de Greccio poucos dias atrás. Greccio foi o lugar no qual São Francisco de Assis realizou o primeiro presépio da história, quando voltava de Roma. Na realidade, antes disso, presépios eram realizados nos mosteiros, mas eram vistos somente pelos monges que ali moravam e por poucos visitantes. São Francisco, comovido com o grande acontecimento de Deus que vem como um pobre na nossa condição humana, chamou algumas pessoas para representarem, ao vivo, os protagonistas dessa história: Maria, José, o menino, alguns pastores, os Santos reis, o boi e o burro, etc. 

Em Greccio, o Papa apresentou uma Carta Apostólica intitulada Admirabile Signum, que quer dizer, "Sinal Admirável", referindo-se ao Presépio que São Francisco popularizou naquela cidade.

Vale a pena acompanhar algumas palavras do Papa.     

"O SINAL ADMIRÁVEL do Presépio, muito amado pelo povo cristão, não cessa de suscitar maravilha e enlevo. Representar o acontecimento da natividade de Jesus equivale a anunciar, com simplicidade e alegria, o
mistério da encarnação do Filho de Deus.

Com esta Carta, quero apoiar a tradição bonita das nossas famílias prepararem o Presépio, nos dias que antecedem o Natal, e também o costume de o armarem nos lugares de trabalho, nas escolas, nos hospitais, nos estabelecimentos prisionais, nas praças…

Ao entrar neste mundo, o Filho de Deus encontra lugar onde os animaisvão comer. A palha torna-se a primeira acolhida para Aquele que Se há de revelar como «o pão vivo, que desceu do céu» (Jo6, 51). Uma simbologia, que já Santo Agostinho, bem como outros Padres da Igreja, tinha entrevisto quando escreveu: «Deitado numa manjedoura, torna-Se nosso alimento».

O nascimento duma criança suscita alegria e encanto, porque nos coloca perante o grande mistério da vida. Quando vemos brilhar os olhos dos jovens esposos diante do seu filho recém-nascido, compreendemos os sentimentos de Maria e José que, olhando o Menino Jesus, entreviam a presença de Deus na sua vida.

«De facto, a vida manifestou-se» (1 Jo 1, 2): assim o apóstolo João resume o mistério da Encarnação. O Presépio faz-nos ver, faz-nos tocar este acontecimento único e extraordinário que mudou o curso da história e a partir do qual também se contam os anos, antes e depois do nascimento de Cristo.

Que surpresa ver Deus adotar os nossos próprios comportamentos: dorme, mama ao peito da mãe, chora e brinca, como todas as crianças. Como sempre, Deus gera perplexidade, é imprevisível, aparece continuamente fora dos nossos esquemas. Assim o Presépio, ao mesmo tempo que nos mostra Deus tal como entrou no mundo, desafia-nos a imaginar a nossa vida inserida na de Deus; convida a tornar-nos seus discípulos, se quisermos alcançar o sentido último da vida".

Caros irmãos e irmãs, amigos e amigas, É importante valorizar o sinal do presépio em nossas casas e lugares onde estudamos ou trabalhamos, para não perder de vista o fato da história que está na origem de tanta festa. Enfeitamos as cidades, as lojas, as casas mas sempre menos aparece um sinal que recorde o nascimento de Jesus, o Filho de Deus, vindo habitar entre nós.

Vejam o que aconteceu já com a festa de São João: sanfona e músicas típicas, comidas, bebidas, roupas que usamos somente nos dias da festa de São João, mas duvido que, naqueles dias, alguém lembra da santidade de João Batista. Algo muito parecido está acontecendo com o Natal. Por isso, recomendo fazer um presépio, por simples que seja, em casa e no lugar onde convivemos com outras pessoas. O presépio será ocasião para recontar o que aconteceu na história, quando Cesar Augusto era imperador de Roma e Quirino era governador da Síria, como relata o Evangelho de Lucas, poderá ser o lugar para reunir-se numa breve oração, para reavivar a fé, pois aquele acontecimento continua a trazer até nós a alegria, a beleza e a Paz que Jesus veio trazer, quando o reconhecemos e acolhemos.
 

Dom João Carlos Petrini
Bispo da Diocese de Camaçari