Notícias

31 JUL
[Arquidiocese de São Paulo celebrará Missa do Crisma neste sábado (1º)]

Arquidiocese de São Paulo celebrará Missa do Crisma neste sábado (1º)


A celebração foi remarcada por causa da pandemia. Tradicionalmente, a cerimônia acontece no período da Semana Santa, na quinta-feira.
 

A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de muitos templos religiosos. A Arquidiocese de São Paulo, a exemplo, optou por remarcar a Missa do Crisma para este sábado (1º). A tradição é que a celebração seja realizada na quinta-feira Santa. A Missa Solene acontecerá às 09h, na na Catedral da Sé, presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.

Vale lembrar que na época da Semana Santa deste ano, em abril, a cidade de São Paulo vivenciava o período ascendente da pandemia de COVID-19. Na ocasião, acontecerá a liturgia dos  Santos Óleos utilizados nos ritos dos sacramentos do Batismo e da Unção dos Enfermos, e a Consagração do Óleo do Crisma. Os sacerdotes da Arquidiocese também irão renovar as suas promessas sacerdotais diante do Arcebispo.

A missa será transmitida pela rádio 9 de Julho (AM 1600 kHz), Rede Vida de Televisão e as mídias sociais da Arquidiocese. Contudo, a missa será restrita. Além do Cardeal, bispos auxiliares e padres participarão diáconos permanentes e uma pequena quantidade de fiéis leigos.

“Este ano, a celebração ocorrerá seguindo o mesmo rito proposto pela Igreja, porém com todas aquelas cautelas protocolares. Primeiro, o distanciamento que deve ser respeitado entre os sacerdotes e todos os presentes, o uso das máscaras e do álcool em gel. Ao mesmo tempo, também será aferida a temperatura de cada participante na entrada”, disse o Padre Helmo Cesar Faccioli, Coordenador da Comissão Arquidiocesana de Liturgia.

A Catedral Metropolitana, que tem capacidade para 800 pessoas sentadas, na missa deste ano contará com menos da metade de sua capacidade. Segundo o Sacerdote, o cerimonial responsável está se preparando para que todos protocolos sanitários sejam cumpridos. 

Os sacerdotes terão que chegar com antecedência e se sentarão em lugares pré-determinados nos bancos com o distanciamento adequado. Os padres idosos e enfermos não irão participar da celebração, por orientação do próprio Cardeal. Na fila da comunhão, todos os presentes terão que higienizar as mãos com álcool em gel antes de receber a Eucaristia.

“Desejo que seja um momento de grande unidade de toda a Igreja, sobretudo com os fiéis. Que eles possam acompanhar rezando e pedindo pela Igreja, pelos sacerdotes, pelas vocações, e pela força e ação de Deus, para que possamos superar essa grande pandemia e tudo isso passe e todos se sintam seguros e saudáveis”, disse Padre Helmo.
 

Da redação com Arquidiocese de São Paulo
Foto: reprodução | Rede Brasil Atual