Notícias

25 MAR
[

"A Festa da Anunciação me ajuda a continuar dizendo meu sim", afirma Pe. Adilton Lopes, Reitor e Pároco da Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia


Há 25 anos, Pe. Adilton dava o seu sim a Deus, assim como Maria deu.
 

No dia 25 de março, a Igreja celebra a Solenidade da Anunciação do Senhor que é recordada através do Evangelho de São Lucas (1, 26-38). Também neste dia, há 25 anos, o Pe. Adilton Pinto Lopes,  Reitor e Pároco da Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia dava assim como Maria, o seu sim a Deus iniciando a sua vida sacerdotal. Hoje celebrando o seu Jubileu de Prata Sacerdotal.  

Em entrevista ao Fé Católica, o sacerdote relata como a intercessão de Nossa Senhora foi e é fundamental para sua vida de serviço a Deus e a Igreja. Pe. Adilton afirma que sua vida vocacional teve início especialmente no âmbito de sua Paróquia São João Evangelista, no bairro de Mussurunga. "Desde a adolescência, caminhava com o Padre  Pe. Manuel Correia de Souza, já falecido, ajudando nas celebrações, participando da Catequese. Via a labuta do padre, um sacerdote para várias comunidades. Estava na missa de manhã, ajudava no bastimo, ia para as comunidades a tarde e voltava para missa a noite. E sentia e me perguntava: "Porque eu também não ser sacerdote?"; "Porque não dá a vida para anunciar Cristo?"; "Para levar Jesus aos outros?", recorda. 

Ele conta que começou indo uma vez por mês para os Encontros Vocacionais com Irmã Núncia e ajudava os jovens na época a discernir cada um a sua vocação e sentia que Deus me chamava para o sacerdócio. "Participei do grupo Vocacional do Seminário São João Maria Vianney e na minha vida de seminário, vivi um momento especial, em julho de 1989. Estava no Retiro Nacional de Seminaristas (Renasem) da Renovação Carismática Católica - RCC e em momento de Deserto, eu senti muito forte a presença da Virgem Maria. E ela dizendo: "Consagre a sua caminhada vocacional, sua caminhada de seminário ao meu coração. Se consagre a mim e eu irei te conduzir ao sacerdócio do meu filho", lembra.  

Pe. Adilton pontua a partir daquele momento Deus colocou em seu coração, a maior devoção e ternura a Nossa Senhora. "Comecei a rezar o terço todos os dias, passei a escrever no Seminário, em um jornal vocacional, denominado 'O Chamado' e sempre nos artigos que me pediam, eu falava de Nossa Senhora", explica.  "Nas paróquias e pregações quando me chamavam, eu sempre falava da Virgem Mãe. Na minha oração também tinha um momento dedicado a ela", complementa.

A intercessão de Nossa Senhora também foi sustento para os momentos complicados dentro da preparação para o sacerdócio. "Esse amor por Nossa Senhora era muito forte na minha alma. E em momentos difíceis no seminário, nos estudos não é tudo flor, é cruz, às vezes perseguição e nestes momentos por vezes não tinha cabeça para ler a bíblia, mas sempre recorria ao terço ou rosário", fala. 

Ordenado diácono permanente, em 6 de agosto de 1994. Adilton diz que Dom Lucas Moreira Neves, então cardeal em Salvador o convocou para escolher a data da ordenação presbiteral, este que também o ordenou como diácono. "Eu pedi que a data recorda-se a virgem, era janeiro de 1995 e ele olhou a próxima data de cunho cristológico e mariano, seria 25 de março de 1995. Fui ordenado em um sábado, às 18h. Eu quis fazer em agradecimento a virgem do meu chamo e proteção dela da minha vida", pontua.

Com tema sacerdotal: "A exemplo de Maria servidor do Evangelho" e o lema:Faça-se em mim segunda sua palavra, Pe. Adilton declara que Sem o sim de Maria, a encarnação não se daria, o verbo não teria se feito carne, Deus não teria entrado no mundo e a Igreja não existiria nos sacramentos. "Graças ao Sim de Maria, a Igreja existe, o verbo se faz carne, Jesus nasceu e pode morrer na cruz. A Festa da Anunciação, do Sim de Maria, me ajuda a continuar dizendo meu sim. O sim com alegria e não perder a alegria de ser padre, na vocação. É um sim que deve ser renovado diariamente. Tem dias melhores, piores, dias de cruz e de glória, mas é um sim que eu peço a Deus, e a Virgem Santíssima, a Imaculada Conceição Nossa Senhora da Conceição da Praia que eu possa continuar dando até o meu último dia nessa Terra, unindo meu sim, ao sim dela e que seja digno de gerar a vida eterna", ressalta. 

Para Pe. Adilton ser sacerdote é um dom e mistério, é uma grande graça. "Mil vidas teria, mil vidas, eu seria padre para consagrar, trazer a eucaristia a Jesus, perdoar os pecados, anunciar a palavra de Deus, animar seu povo. Nós somos padre por causa de Cristo. É o amor a Jesus que nos faz entregar a vida a ele, mas quando tem Nossa Senhora conosco, essa entrega é muito mais preenchida de ternura, docilidade. Quero ser Padre a exemplo de Maria, com sua ternura, docilidade, alegria, amor, sem fazer mal a ninguém, sem pensar em destruir a ninguém. Maria é modelo de oração, silêncio, fidelidade e que ela me ajude a ser fiel e a Deus e a Igreja", conclui.  
 

Foto: Reprodução | Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia