Facebook Instagram WhatsApp Twitter

Fé Católica - Sempre Presente

Nossos Parceiros

Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros
Parceiros

Colunas

CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA DE DEUS

09/02/2017 às 09:02.
As comunidades cristãs deveriam celebrar o domingo para fazer memória da Ceia do Senhor (missa), por ser a celebração do mistério pascal de Cristo (cf. I Cor 11,26). No entanto, conforme pesquisa realizada, já alguns anos, constatamos que no Brasil, mais de 70% das comunidades passam pelo menos um domingo por mês sem celebrar a Eucaristia, por falta de sacerdotes. Embora, em nossas comunidades eclesiais, há uma rica experiência de se celebrar a Palavra no domingo, sob a presidência de ministras e ministros leigos.
O Concílio Vaticano II resgatou esta forma de ministério na comunidade eclesial que não tem a presença do sacerdote, ensinando que fossem realizadas “nas vigílias das festas mais solenes, em alguns dias feriais do Advento e da Quaresma e nos domingos e dias de festa”, especialmente naquelas comunidades onde não houvesse um presbítero. Neste caso, “um diácono ou outra pessoa delegada pelo bispo” é quem presidirá tais celebrações (cf. SC 35,4).
Aparecem nos livros litúrgicos como autênticas celebrações da Palavra: a Liturgia das Horas, também na sua forma inculturada do Ofício Divino das Comunidades, a celebração do Batismo e da Crisma fora da missa, a celebração dos sacramentos de cura, Penitência e Unção dos Enfermos, e a celebração do Matrimônio, bem como as Celebrações das Exéquias e as Bênçãos (cf. Ritual de Bênçãos).
Serão, também, ocasiões propícias para uma celebração da Palavra de Deus, indicadas na Verbum Domini, n. 65: ”Peregrinações, festas particulares, missões populares, retiros espirituais”. Esse rápido elenco revela que as celebrações da Palavra de Deus é aconselhada e valorizada pela Igreja. Neste sentido, o Documento de Aparecida n. 253 ensina: “Com profundo afeto pastoral, queremos dizer às milhares de comunidades com seus milhões de membros, que não têm oportunidade de participar da Eucaristia dominical, que também elas podem e devem viver segundo o domingo (...), participando da celebração dominical da Palavra, que faz presente o Mistério Pascal no amor que congrega (cf. Jo 3,14); na Palavra acolhida (cf. Jo 5,24-25) e na oração comunitária (cf. Mt 18,20).

PREPARAR BEM A CELEBRAÇÃO

As celebrações da Palavra devem ser vividas como momento de profunda oração e, seus ritos, organizados de maneira a revelar “a imagem de uma assembleia litúrgica e não de uma simples reunião”. Orientações específicas a respeito delas foram oferecidas às comunidades católicas do Brasil, em 1994, no Doc. 52 da CNBB: Orientações para a celebração da Palavra de Deus. Conforme explicita o n. 54 do Doc. 52, os principais elementos a integrar uma celebração da Palavra de Deus são os seguintes: “reunião em nome do Senhor (Ritos Iniciais); proclamação e atualização da Palavra de Deus (Liturgia da Palavra); Ação de Graças; envio em missão”.
É’ importante recordar que o anúncio da Palavra é fundamental para celebramos, hoje, o mistério pascal do Senhor e testemunhá-lo na sociedade. Isto porque, como se pode perceber, a Celebração da Palavra tem valor pela reunião da comunidade. As celebrações da Palavra de Deus, inseridas no ritmo do Ano Litúrgico, alimentam, simultaneamente, a vida das pessoas que participam dela e a da própria comunidade. Para tanto, é necessário aceitar a Celebração da Palavra como ela é, verdadeira ação litúrgica, e não como uma celebração de segunda categoria.

Pe. Edimundo Almeida dos Santos
Coordenador de Pastoral Arquidiocesano





Pe. Edimundo Almeida dos Santos Pe. Edimundo Almeida dos Santos